segunda-feira, 7 de junho de 2010

As imagens representadas mostra a nossa atual visão do mundo, como estão as coisas, de que forma está acontecendo, é nada muda, só aumenta a cada dia.Coisas absurdas que acontece no dia-a-dia, as imagens de uma forma, chocante e realista,mas que trás uma aprendizagem e reflexão para o que está acontecendo a nossa volta.

sexta-feira, 4 de junho de 2010

As imagens que foram apresentadas na aula passada são consideradas como imagens subliminares,pois a mesma, passar uma verdade um pouco chocante, porém sútil.O objetivo desta é atuar no subconciente, fazendo com que as pessoas assistam e recebam as mensagens com maior naturalidade.
Porém o educador tem a possibilidade de fazer uma análise critica,e separar determinados assuntos ,que convém para seus alunos.Assim com o censo critico o professor não aceita tudo que a midía impõe como verdades.

(Patricia Torres-04/06/10/)

sábado, 29 de maio de 2010

video educativo

video infantil da turma da Mônica.
gente este video é ótimo para mostrar a crianças a responsabilidade de se ter um cão dentro de casa.
video

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Saindo do Tradicional e Inovando com Vídeos

Com o avanço das técnologias, podemos perceber vários métodos de ensino, um deles é uso de vídeos no contexto educativo.Estes vem fazendo uma maior interação entre o professor e seus alunos.O uso deste recurso audiovisual tem facilitado a vida de muitos professores que enriquese suas aulas dando ao aluno uma nova opção de sair do tradicional ensino(quadro, giz, apagador...)e proseguir com novas técnicas deixan-do a aula mais atrativa.
Educar com vídeos é estar disposto a inovar, e estar aberto para o novo,trazendo sempre desafios como prosta para seus alunos.
(Patricia torres. 28/05/10)

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Laborátorio de vídeo educativo.

Objetivos
O Laboratório de Vídeo Educativo atua na área da produção audiovisual desde 1972 desenvolvendo materiais em diferentes formatos: filmes, vídeos, programas de slide-som, livros e apostilas. Ao final da década de 80, o laboratório passa a se concentrar exclusivamente na área do vídeo educativo acumulando hoje mais de 200 programas voltados para a área da educação e da saúde. Esta longa trajetória, de ricas experiências, tem sido acompanhada de ampla reflexão sobre as relações existentes entre imagem e educação, seja no campo dos processos de produção, seja no campo da aprendizagem com o audiovisual.

Em 1999, com a contratação da professora Adjunta Anita Leandro, define-se a Pedagogia da Imagem como linha geral de pesquisa, no âmbito da área temática de Novas Tecnologias da Informação e da Comunicação na Educação em Saúde. Esta linha baseia-se na análise crítica da imagem pedagógica na área de saúde e busca precisões teóricas para uma pedagogia da imagem, tendo em vista a produção de vídeos e filmes educativos.

Outra linha de investigação desenvolve-se junto ao Laboratório de Linguagens e Mediações do Nutes, com estudo voltado ao estabelecimento de modelos de avaliação formativa de produções de vídeo, tendo como objeto de estudo produções em desenvolvimento no Laboratório de Vídeo Educativo, no sentido de se aprimorar a produção e avançar nas propostas teórico-metodológicas de avaliação qualitativa. Alunos do Mestrado em Tecnologia Educacional estão envolvidos nesta pesquisa, coordenada pelos respectivos chefes dos laboratórios.

No ensino, o Laboratório de Vídeo Educativo oferece disciplinas teórico-práticas nas áreas de roteiro, montagem e análise e produção da imagem. Apoiado por uma infra-estrutura totalmente revitalizada em 1999, a experimentação vem se juntar aos espaços de produção num mesmo ambiente acadêmico. A incorporação de novas tecnologias, bem como de equipamentos mais portáteis, só foi possível graças ao Projeto de Elaboração de Materiais Educativos desenvolvido a partir de 1996 com o Dr. Pedro Chequer da Coordenação Nacional de DST e Aids, do Ministério da Saúde. Esta mesma Coordenação já havia participado de outro importante investimento no laboratório em 1988, durante a gestão da Dra. Lair Guerra de Macedo, visando a produção de programas educativos em vídeo na área da Aids.

quarta-feira, 26 de maio de 2010

terça-feira, 25 de maio de 2010

ser professor

ser professor é ter muita força de vontade para enfrentar os desafios que são impostos pela sociedade,por exemplo: a desvalorização da profissão, os pessímos ambientes de trabalhos na grande maioria das vezes. porém ser professor também tem seu lado gratificante é você ver os brilho nos olhos de uma criança quando estar aprendendo a escrever seu nome, a ler e etc... é saber que estar contribuindo para uma sociedade melhor, através do ensino transmitido para o proximo.

ser professor é estar em um processo continuo de aprendizagem a cada dia com o proximo.

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Ser Professor.
É dar o melhor de si, para a aprendizagem dos alunos. É a aquele que não dá aula só para passar o conhecimento, mas pelo amor á educação. É aquele que interage com os alunos, propondo uma maneira criativa e prazerosa dentro da sala de aula, cultivando em cada criança o prazer pelo aprender.Ser professor é não ter ambição, não ter predileção, não ter acepção.É cumprir sua missão com abnegação, é ser humilde para aceitar, e ser seguro para entender.Ser professor é renunciar um pouco de si a cada dia.Não só ensinar, mas também aprender a cada dia com os alunos.Ser professor é apontar caminhos, mas deixar que o aluno caminhe com seus próprios pés.

quinta-feira, 13 de maio de 2010

SER PROFESSOR

Para ser professor(a), é abraçar um sacerdócio; Saber que estar contribuindo para formação de gerações; É ser formador de opiniões.
Ser professor(a) é preciso em primeiro lugar ser vocacionado; E ter amor pela profissão; Ser professor(a) é respeitar os limites de cada um,
no que se refere ao ser individual;É vencer os desafios que lhes são propostos no seu dia à dia. Ser professor(a)é como se fosse um jardineiro que cultiva e regar a plantinha, para o seu melhor crescimento.

sexta-feira, 7 de maio de 2010

video

este video trás uma breve descrição sobre alguns problemas ambientais causados pelo homem na natureza.

sexta-feira, 30 de abril de 2010

O vídeo na sala de aula.

A introdução do vídeo nas salas de aula altera a relação aluno/professor,criando novas expectativas em relação á postura pedagogica tradicional.Nessa circunstâncias, como utilizar o vídeo adquadamente? Algumas das possibilidades de uma releitura da realidade. (José Monoel Morán)
Vídeo Educativo.
Delimitado em torno de questões que mantém relações com práticas educativas em saúde, este estudo tem como perspectiva de análise as imagens do corpo vinculadas ao comportamento sexual e reprodutivo nos processos de comunicação mediados pelos chamados vídeos educativos. Busca-se caracterizar, na relação do sujeito com a tecnologia, os discursos e a direção do olhar que conformam na atualidade tais práticas. Com especial interesse nas possibilidades de relações que o vídeo apresenta entre sujeitos enunciador e representado que compõem o texto e profissionais de saúde nas interações com as mensagens, procura-se caracterizar os discursos e questões que conformam a base de uma determinada visão do corpo e da sexualidade. O desenho do estudo teve como sujeito profissionais de saúde da rede pública do Rio de Janeiro no período de 1996-1997. Os resultados mostram uma concepção de sexualidade que tende a generalizar o significado da experiência sexual, ignorando as variações entre diferentes grupos, culturalmente definidos, na atribuição de significados
Vídeo Educativo.
Os vídeos educativos são bastante úteis para atividades acadêmicas destinadas a todo o tipo de público, sejam crianças, jovens, adultos ou idosos. Para tratar de um tema em questão, a melhor forma é fazer um vídeo educativo com especialistas da área e um bom roteiro para levar o educando ao aprendizado. Esse tipo de vídeo tem sido muito bem utilizado para universidades que trabalham com Educação a Distância - EAD ou programas de formação em geral. A Candace Cine está preparada para atuar na área de pesquisa, abordagem e investigação de temas sugeridos pelo cliente para realização do seu vídeo educativo.

terça-feira, 27 de abril de 2010

Como olhar criticamente o Software Educativo Multimédia

Carvalho, Ana Amélia Amorim (2005). Como olhar criticamente o software educativo multimédia.
Cadernos SACAUSEF – Sistema de Avaliação, Certificação e Apoio à Utilização de Software para a Educação e a Formação - Utilização e Avaliação de Software Educativo,
Número 1, Ministério da Educação, 69-82, 85-86.
Como olhar criticamente o Software Educativo Multimédia
Ana Amélia Amorim Carvalho
Universidade do Minho
aac@iep.uminho.pt
Resumo – Começamos por abordar as potencialidades do software educativo multimédia
na aprendizagem, na motivação e na autonomia dos utilizadores, referindo estudos onde estes
aspectos foram contemplados. De seguida, propõem-se orientações para olhar criticamente o
software educativo multimédia antes de ser utilizado em contexto educativo.
Software Educativo

“o controlo a proporcionar ao utilizador depende principalmente dos
seus conhecimentos prévios sobre o assunto em estudo, da sua familiaridade
com o sistema e dos objectivos da aprendizagem. Caso os conhecimentos
prévios sejam inexistentes ou muito elementares, deve ser facultado um
percurso mais estruturado. (...) Se os objectivos da aprendizagem são
interiorizar determinada sequência, o controlo deve ser dado ao sistema; se
os objectivos da aprendizagem são explorar o conhecimento presente no
hiperdocumento relacionando diferentes aspectos, analisar diferentes
perspectivas, o controlo deve ser dado ao utilizador” (Carvalho, 1999: 117).

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Aprendendo com os Vídeos educativos

Os videos educativos são importantes complementos na formação da criança, o que caracteriza um video educativo? é tudo aquilo que é exibido em forma de documentário, filme ou desenho com o intuito de passar uma lição de moral á criança, estimulando-a no seu apredizado e desenvolvimento.
Contribuem nesse processo de ensino os programas de cunho educacional, com noções de cidadania, canções, além de figuras e formas coloridas. A apresentação de programa educativo já pode ser feita no primeiros meses de vida ( entre três e cinco meses). Nessa face, o bebê é capaz de recber estimulos, reconhecendo uma história, por exemplo, através de trilha sonora do filme (estimulando a audição e o raciocínio).
É fundamental que os pais tenham a precepção daquilo que é recomendável ou não ao filho. " Não adianta colocar uma sèrie de filmes educativos em sequência para ela assistir, achando que quanto mais, melhor. a criança só passará a absover as mensagens instrutivas do filme quando alguém estiver presente para explicar cada acontecimento. Os pais devem ensinar que a bola mostrada no filme é vermelha ou que aquele animal é bonzinho", explica Rita Calegari chefe do setor de psicologia da maternidade do hospital São Camilo Pompéia.
Isso que dizer que apenas boa intenção não é necessário para educar uma criança. É preciso que os pais tenham consciência do programa apropriado para apresentação ao filho e, principalmente o acompanhamento do filme educativo ao lado da criança. " O estimulo gerado pelo filme educacional, combinado com os ensinamento dos pais são essenciais para o aprendizado".
Menino crescidinho mesmo quando o filho já está um pouco maior e capaz de definir sua programação, a presença dos pais ainda é vital. Na maioria das vezes, as opções escolhidas pelo filho são composta de conteúdos pouco qualitativo. Quando isso ocorrer, recomenda-se um diálogo franco e explicativo com o filho.

" a criança é como uma esponjinha. retém tudo que é repassado a ela. É imprescindivel que os pais informemos os filhos sobre o momento certo para assistir determinado programas, dizendo o que é bom ou ruim. Os pais devem estar ciente de que a educação principal é exercida por eles e pela escola, e não por videos educativos ou programas televisivos".